domingo, 1 de maio de 2016

Se não fosse o "Se"...


Se ela vivesse como a alma gostaria
Não olharia relógio
Seria a dona dos seus dias
Dormir quando o cansaço chegasse
Acordar quando o cansaço já longe ia

Os livros que sonhasse teria
Escolhendo-os a seu tempo
E vivendo por instantes 
sua solitária fantasia

Iria a Paris, 
Museu do Louvre visitaria
Depois em piscar de olhos
Nas ruínas de Machu Picchu estaria
Rever amigos distante
Alemanha, Rio Grande, Minas, Bahia
Ah, Cidadã do mundo seria!

Teria mais filhos
Pai, mãe, irmã mais perto
Avô que já se foi
Avó aqui estaria
Bons tempos que não voltam
Amor circularia

Daria mais espaço para sonhos
Mestrado em seu caminho estaria
O violão daria o tom
E faria dias com mais cantoria
Na cozinha melhor seria
E nas línguas estrangeiras 
Ser menos tímida ajudaria

Mas ela escolheu caminhar
buscando na simplicidade sua base
Enxergando valor onde antes não via
Trocando sonhos por realidade
E fazendo de filhas e companheiro
Sua maior parceria 

Que venham mais e mais dias
E a alma cheia de sonhos 
Tem nessa vida o que gostaria
Viver em paz com quem se gosta
Fruto que multiplica
Em semente de amor e harmonia.

Liz Midlej

Nenhum comentário:

Postar um comentário