quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Presença


É sem cerimônia que você chega. Aparece rápido, surge: manda um beijo, me chama de meu apelido preferido, enche o mundo inteiro com sua presença de alfazema. 

Como é que eu sei? quando você apareceu pela primeira vez, era um dia nublado de outono. As duas portas de vidro que separavam sua história da minha, as primeiras palavras e uma vontade de ficar.

Aquela rodovia inacreditável que cruzava os destinos: eu achava que os dois lados dela eram iguais, mas depois de você, entendi que não. Aquele lado direito da rodovia te tinha. e por isso mesmo me fazia (e me faz) desejar um dia de sol - só um - com algum vento soprando de leve e sua presença. Até o nome que você tem, rimando com qualquer pedaço de mar, como quem pedisse: me navega...

Mariana Paiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário