segunda-feira, 2 de março de 2015

Chegar e partir


"Hoje sei que o medo nada mais era do que fruto da minha (nossa) obsessão em medir ações e ser assertiva. E foi só com o tempo e com as chances que me dei que descobri que não há nada mais libertador e esclarecedor do que o bom e velho tiro no escuro.

[...] É preciso ir embora.

Então vá embora. Vá embora do trabalho que te atormenta. Daquela relação que você sabe não vai dar certo. Vá embora “da galera” que está presente quando convém.  Vá embora da casa dos teus pais. Do teu país. Da sala. Vá embora. Por minutos, por anos ou pra vida. Se ausente, nem que seja pra encontrar com você mesmo. Quanto voltar – e se voltar – vai ver as coisas de outra perspectiva, lá de cima do avião.

As desculpas e pré-ocupações sempre vão existir.  Basta você decidir encarar as mesmas como elas realmente são – do tamanho de formigas."
(Trechos do texto "É preciso ir embora" do Blog 'Antônia no divã' - Autora: Antônia)


A cada etapa da vida, chegamos e vamos embora. Não necessariamente de um lugar, pode ser de um ciclo, de uma situação, de um emprego, de um relacionamento, de um conceito, de uma fase. O importante é que venha e que vá embora deixando um saldo que nos faça refletir sobre essa viagem que é a vida, para que possamos amadurecer e afinarmos o nosso instrumento maior, que é a nossa alma. É sempre hora de partir para uma nova etapa e acreditar que coisas boas virão. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário