terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Reveses


Porque atingir uma meta
é quase sempre enfadonho.
Daquilo que se alcança
se perde o sonho,
eu fiz da minha
o próprio caminho
essa linha
      em desalinho
             que se pretende reta


E com a única meta
sabidamente infinda,
tanto que hei
de caminhar ainda,
eu saboreio
as incertezas do vento
não é
      do titubeio
             dos passos
                   que se faz dança
                           o movimento?


|Renata de Aragão|

Nenhum comentário:

Postar um comentário