quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Cartografias da alma


Só, perambulei.
Pernoitei na moita do mundo
Sonhei sonhos de ti

Vaguei destinos
Abri tantas portas cerradas
Apeei da vida

Hoje, só, perambulo
Tal qual vaga-lume
No lume de minha estrada

Não me desejes sorte
A sorte sou eu
A morte é minha consorte



Medo da escuridão
Fantasmas de mim
Que sabes de mim?

Seguirei forte
Trilhas do amanhã
Porque o hoje já faleceu em mim

|Canrobert Almeida|
Fonte: Cartografias da alma, facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário