sábado, 19 de julho de 2014

Grande perda


A literatura brasileira sofre duas grandes perdas essa semana: Primeiro foi o escritor e membro da Academia Brasileira de Letras João Ubaldo Ribeiro, autor de O sorrido do Lagarto e Viva o povo Brasileiro, dentre outras - obras que retratam o contexto social do Brasil com pitadas de ironia e humor. 

E mal nos acostumamos com a ideia, morre Rubem Alves, escritor, psicanalista, educador e membro da Academia Campinense de Letras. Um dos pilares da teologia da libertação, inclusiva e tolerante com o próximo, oposta ao fundamentalismo.  Autor de pérolas como A menina e o pássaro encantado; Morango, dentre outras milhares de obras, contos, crônicas, deixando um vasto acervo.

Morre o corpo, mas jamais aquilo que o imortaliza. E assim, fica o legado de duas grandes almas que mudaram nossa forma de ver o mundo:

"A vida é como uma vela: para iluminar, é preciso queimar."  |Rubem Alves| 

“Já estou chegando, ou já cheguei, à altura da vida em que tudo de bom era no meu tempo.” |João Ubaldo Ribeiro|

|Liz Midlej|

Nenhum comentário:

Postar um comentário