terça-feira, 29 de julho de 2014

A guerra e a paz


Acordei no meio desta noite pensando no lugar que estou vivendo, e me veio esta pergunta: Onde a guerra acontece? Será que ela esta somente nas ruas do nosso país, nos países do Oriente Médio, ou mesmo na Ucrânia? Como alguém pode viver em paz se existe uma guerra bem ao seu lado?

[...] Vivemos neste planeta sem nunca nos lembrarmos de que o cerne da nossa existência neste tempo é a impermanência. A impermanência é como um vento, e tal qual ele, passa, transforma e vai embora podendo deixar vestígios. 

Mas por que não percebemos ainda que não somos, e apenas estamos? Por que queremos nos apropriar de coisas ou de crenças que não nos servem, pois no final partimos daqui? Por que queremos perpetuar algo que separa, mesmo não estando mais aqui? 

Quando partimos daqui não levamos nossa religião, não levamos nossos bens e tão pouco a nossa civilização. Em pouco tempo não existiremos aqui, e tão pouco tudo que elegemos como importante. Tudo terá desaparecido. Levaremos apenas o resultado das nossas atitudes, e da nossa mente emocional diante de tudo isso. 

Tão importante quanto o que levamos é o que deixamos, e fica aqui uma questão. Você já imaginou alguma vez que o que você vai deixar para trás irá te encontrar algum momento da sua existência? 

Nossos atos ecoam na eternidade, tanto gerando uma corrente de virtuosidade como o contrário. Um dia seus atos irão te alcançar, como já acontece hoje. Por isso muitas vezes é difícil de entender o que estamos vivendo no tempo presente...

Para continuar a ler - clique aqui 

Beto Pandiani, Velejador 
Fonte: Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário