quarta-feira, 21 de maio de 2014

Relacionamentos modernos

Achei um texto interessante e coloquei aqui alguns trechos. Essa modernidade toda, onde a tolerância é zero e a banalidade é a tônica na maioria dos relacionamentos, muitas vezes me choca. Acredito ser privilegiada por ter vivido meus namoros em outra época, onde a busca pela estabilidade sobrepunha a rapidez e a volatilidade do que vejo atualmente.


1. Quem se importa menos, tem todo o poder. Ninguém quer ser “a pessoa mais interessada” da relação.

2. Ligações telefônicas são uma arte em decadência. Muito provavelmente, grande parte da comunicação do seu relacionamento vai acontecer por texto, que é a forma de interação mais desapegada e impessoal que existe. Já pode ir criando intimidade com as opções de emoticon.

3. A mensagem que você mandou chegou. Se ele não respondeu, pode ter certeza que não foi por causa do mau funcionamento das operadoras de celular.

4. Planos com antecedência estão mortos. As pessoas tem opções e atualizações de última hora da localização dos seus amigos (ou outros potenciais romances) graças as mensagens e as redes sociais. Se você não é a prioridade, você vai ouvir um “Talvez” ou “A gente se fala” como resposta para o seu convite para uma saída e o(s) fator(es) decisivo(s) serão se a pessoa recebeu ou não ofertas mais divertidas/interessantes que você.

5. Você provavelmente não vai ver muito da personalidade genuína e sem filtros de alguém até que vocês estejam em um relacionamento. Geralmente as pessoas tem medo de mostrar como realmente são e parecerem disponíveis demais, ansiosos de mais, nerds demais, bonzinhos demais, seguros demais, não engraçados o suficiente, não bonitos o suficiente, não alguma outra pessoa o suficiente para serem acolhidos.

Veja texto completo aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário