quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Ah, mar.. Há mar? Amar!

Mar de Cacha Pregos - Ilha Itaparica - Bahia
by Fernanda Pataro
Ainda custo a entender a eternidade do mar. Não sei se é porque nele vejo o presente e o passado comungando tão solidamente, ou se é simplesmente pela fantasia com que o cubro. Só sei que diante dele, que é fragmento e imensidão, lembro-me sempre de quem sou. Não do que se pode ver, mas do que é mais duradouro, muito mais transparente, do que é profundo.
Ali, com os pés perdidos na espuma do mar, reconheço que não existem certezas, afinal, ninguém pode ser inteiramente fragmento, nem totalmente imensidão.
Abandono-me. E Deus se faz presente.
Na concha, no céu, naquele mar muito antigo. Pode ser só uma maneira de enxergar.
Mas diante do mar, vivo sempre meu milagre particular. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário