domingo, 4 de agosto de 2013

Não apenas gostar

Ele disse que não sabia porque eu gostava dele.
Eu também queria entender.
Depois de tantos anos descobri que não conhecia os motivos.
Talvez fosse por causa da calma bonita que ele traz na voz; talvez por suas falas, que comungam tanto com as minhas, ou só por causa dos efeitos líricos que me acometem todas as vezes que o vejo...
Não sei.
Quem sabe seja por causa do delicioso olhar abandonado, ou por aquela fragilidade escondida que só eu vejo, ou pelos medos que ele nem sabe, mas sente.
Estar com ele é sempre como atravessar um espelho.
Então talvez eu goste dele por alguma coisa muito mais simples.
Talvez porque meu acolhimento deseje abraçar sua melancolia.
Talvez porque abraçando, me sinta abraçada.
Não sei.
Não deve ser isso. Desconfio que também não seja por sua inteligência, ou educação, tampouco por suas mãos que sempre sabem desenhar flores sobre as minhas.
Só o que sei é que não escolhi gostar dele.
Gostar dele é que me escolheu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário