quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Novos tempos, velhos amigos

Velhos amigos
Quando se encontram
Trocam notícias e recordações
Bebem cerveja no bar de costume
E cantam em voz rouca 
Antigas canções
Os velhos amigos
Quase nunca se perdem
Se guardam para certas ocasiões
Velhos amigos
Só rejuvenescem
Lembrando loucuras
De outros verões
E brindam alegres 
Seus vivos e mortos
E acabam a noite
Com novas canções
Conhecem o perigo
Mas fazem de conta
Que o tempo não ronda
Mais seus corações.

Almir Sater

Nenhum comentário:

Postar um comentário