sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Com emoção


Preciso dizer algo mais para o melhor "Babbo" do mundo que virou o melhor "Nonno" do Universo?
Preciso. Mas não sei. Normalmente ele sabia tudo. Quando não sabia, inventava com a mesma categoria com que falava sobre o que sabia. Todo pai é assim para o filho. Mas um filho de jornalista que também é jornalista fica ainda mais órfão. Nunca vi meu pai como um super-herói. Apenas como um humano super. Só que jamais imaginei que ele pudesse ficar doente e fraco de carne. Nunca admiti que nós pudéssemos perder quem só nos fez ganhar.

Ele me ensinou tantas coisas que eu não sei. Uma que ficou é que nem todas as palavras precisam ser ditas. Devem ser apenas pensadas. Quem fala o que pensa não pensa no que fala. Quem sente o que fala nem precisa dizer.

Trecho da carta do jornalista Mauro Beting para o jornalista Joelmir Beting, seu pai, que faleceu ontem, aos 75 anos.
Leia carta completa AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário