terça-feira, 18 de setembro de 2012

Emergência no Pantanal!

"A vida aqui só é ruim
Quando não chove no chão
Mas se chover dá de tudo
Fartura tem de montão
Tomara que chova logo,
Tomara, meu Deus, tomara..." 
(Último Pau de Arara, Fagner)

O Pantanal Sul-Matogrossense é uma região com estações do ano bem definidas, que vive sob o desígnio das águas. Ali, a chuva divide a vida em dois períodos bem distintos: Períodos de seca, que vai de Maio a Outubro e período de chuva com alagamento da região nos períodos de Novembro a Abril. 

Esse ano, devido ao processo de aquecimento global que sofre o Planeta, o período de seca foi pior que nos outros anos e o tempo ficou mais seco, com umidade muito baixa e consequentemente houveram mais incêndios na região.

De acordo com Centro de Meteorologia do Aeroporto Internacional de Corumbá, a  última chuva mais significativa registrada na cidade ocorreu no dia 26 de junho, quando choveu 7,2 milímetros. Ou seja, quase 3 meses sem chover.

A secura do ar vem atingindo níveis fora de qualquer normalidade, ou seja às 15 hs Corumbá registra apenas 10% de umidade com 38° de temperatura. 

Nos primeiros 12 dias de agosto foram registrados 1055 focos de incêndio na região de Corumbá.

Mas a chuva está chegando e, assim como no sertão onde a natureza também tem seus sinais particulares, as pessoas que vivem no Pantanal sabem reconhecer esses sinais bem peculiares à região.  Um desses sinais é quando existe a presença desse singelo bichinho nas ruas e casas. Nem precisa de previsão do serviço da meteorologia.  A chuva vem, com certeza!

Aranha Caranguejeira - comum em períodos de chuva no Pantanal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário