quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Crescer


Há um período em que os pais vão ficando órfãos de seus próprios filhos.
É que as crianças crescem independentes de nós, como árvores tagarelas e pássaros estabanados. Crescem sem pedir licença à vida.
Crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeada arrogância.
Mas não crescem todos os dias, de igual maneira, crescem de repente.
Um dia, sentam-se perto de você e dizem uma frase com tal maturidade  que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.
Onde é que andou crescendo aquela pessoinha que você não percebeu?
Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário  com palhaços e o primeiro uniforme do maternal?

Affonso Romano de Sant'anna

Nenhum comentário:

Postar um comentário