sexta-feira, 22 de junho de 2012

São João


Meu pai sempre me ensinava que eu deveria viver o hoje, o aqui e agora. Tomar o passado como base e planejar o futuro, mas viver o aqui, o momento presente. Para Não acontecer de estar em um lugar e querendo estar em outro. Ou viver o presente com saudade do passado e pensando no que vai fazer amanhã.

Tudo bem. Até aceito e acho coerente o conselho. Mas como não querer estar presente no São João de Jequié? Como esquecer uma tradição que me acompanha há mais de 20 anos? Como esquecer a fogueira na porta de casa, a canjica feita com toda a família ajudando um pouco? Com os irmãos e respectivas famílias reunidas numa grande farra, as crianças soltando fogos? O Fórro do Namoral, os shows na praça repleta de alegria e reencontros?


Hoje, meu coração está apertado com essa saudade do São João que, por mais que passem os anos, será uma parte da minha vida onde jamais irei esquecer e me fará ter sempre a sensação de nostalgia nessa época do ano. 
Longe, vivendo o aqui e agora. Perto, com a lembrança e a vontade de estar momentaneamente, em outro lugar.
Inevitável.

|Liz Midlej|

Nenhum comentário:

Postar um comentário