domingo, 13 de maio de 2012

África x Bahia - forte ligação


Como boa amante da música que sou, adoro novidades e amei essa música do Magary Lord que, apesar de já fazer sucesso desde o carnaval da Bahia, não deixa de me encantar! Veja um pouco da história inusitada desse baiano inquieto e talentoso:

Magary sempre foi hipnotizado pela música e foi batucando lata, como tantos meninos da periferia de Salvador, que Francisco Pereira Chagas, 35 anos, desde cedo percebeu que tinha na música uma trilha a seguir.
Da lage de casa, no bairro de Brotas, não resistia aos batuques estridentes que saiam das caixas dos trios elétricos, que ensaiavam na Avenida Ogunjá, antes de serem seguidos pela multidão nos circuitos do carnaval de Salvador.

Quando jovem seu pai o chamava de Lord, somando-se ao nome do personagem da série Jaspion, ele adquiriu o pseudônimo Magary Lord. 
Fortemente influenciado pelo “Semba”, ritmo angolano que deu origem ao Samba aqui no Brasil. O semba foi trazido pelos escravos oriundos de Angola e do Congo. Na Bahia, os cultos e festas dos negros, os tambores dos terreiros de candomblé, o som das rodas de capoeira, tudo favoreceu o surgimento do samba de roda nascido no Recôncavo Baiano, e que mais tarde, seria levado pelos próprios negros para a cidade do Rio de Janeiro, segunda capital do Império Colonial. Juntando esses dois ritmos a Black Music e misturando com uma pitada de dendê, surgiu o Black Semba.
 
Mas, foi a partir do aperfeiçoamento adquirido na Oficina de Investigação Musical do mestre da percussão Bira Reis, no Pelourinho, que Magary Lord se sentiu preparado pra bater tambor e convocar a massa. 

O primeiro grupo que formou tocava samba partido alto e foi batizado de Caldo da Iaiá, para homenagear uma tia incentivadora. Em seguida criou a banda Válvula D’Scape e começou sua peregrinação musical pelos bares do Pelourinho e por outros espaços de música alternativa. Ele viajou para Angola e estudou a gênese do semba e dos ritmos africanos, gerando uma verdadeira simbiose de ritmos da música brasileira, Magary viu nascer o seu Black Semba. 

Ele acaba de gravar seu DVD de estreia no Teatro Vila Velha, em Salvador. Desponta como a nova revelação da música da Bahia e não mascara rótulos. Nos seus ensaios de verão já participaram, entre os convidados especiais, artistas como Luiz Caldas e Caetano Veloso que também são incentivadores da carreira de Magary. “Fico feliz em ver essa renovação da música baiana. Magary, além de um excelente percussionista tem se revelado um inspirado compositor e intérprete. É lindo ver essa empolgação do público cantando suas músicas.” - declarou Luiz Caldas, o criador da axé music..
Magary e sua filha Kalinde no Teatro Vilha Velha, em Salvador

Nenhum comentário:

Postar um comentário