quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Presente


Que estranho "presente" é este que vivemos hoje, correndo sempre por nada, como se o tempo tivesse ficado mais rápido do que a vida.
As utopias liberais do século 20 diziam que teríamos mais ócio, mais paz com a tecnologia. 
Acontece que a tecnologia não está aí para distribuir sossego, mas para incrementar competição e produtividade, não só das empresas, mas a produtividade dos humanos, dos corpos.
Tudo sugere velocidade, urgência, nossa vida está sempre aquém de alguma tarefa.
Temos de funcionar, não de viver. 
Por que tudo tão rápido? Para chegar aonde?" 


Arnaldo Jabor

Nenhum comentário:

Postar um comentário