sexta-feira, 8 de julho de 2011

Dos laços de amor


Cada vida toca mesmo muitas outras vidas. Direta ou indiretamente.
No nosso cotidiano, tantas vezes agitado, apertado, ensandecido, a gente não percebe. Não registra. Não lembra disso. Mas, se pudermos parar um pouquinho e afastar o sentimento dessa roda-viva, é possível notar o quanto a nossa vida está ligada a outras tantas numa rede invisível, tecida com fios de puro sentimento.

O quanto o fato de existirmos influencia, de diferentes maneiras, em variadas circunstâncias, a história de muitas pessoas, conhecidas ou anônimas. Gente que já passou e nem sabemos mais por onde anda. Gente que continua próxima dos nossos olhos e do nosso amor. Gente, cuja vida esbarra na nossa de forma muito rápida, mas nem por isso o encontro é menos valioso. Pessoas que nem sabemos quem são.


Não estamos separados, como tantas vezes sentimos. É fantástico ter olhos para ver a amorosa rede de conexões que cada vida representa. Quando tratamos uma pessoa com gentileza, respeito, cuidado, não é somente ela que está sendo tocada, mas toda a infinidade de inter-relações envolvidas com a sua passagem pelo mundo, as que já existem e as que poderão vir a existir.

Ao olhar para mim, sinto a presença de muitas pessoas. Não teria chegado até aqui, da mesma forma, sem elas. Gente da minha família de sangue. Gente da família que o meu coração cria, vida afora. Gente que encontrei em algum ponto do caminho.

Muitas me ajudaram sem sequer perceber. Recebi, em diferentes momentos, a dádiva de gestos de cuidado e amor que fizeram toda diferença. Mesmo os mais singelos foram providenciais: sorrisos, olhares, escutas, abraços, palavras, silêncios compartilhados quando a presença diz tanto.

Ana Jácomo

Nenhum comentário:

Postar um comentário